Cinebiografia de Elton John, ‘Rocketman’, faz nascer uma estrela: Taron Egerton

Tendo trabalhado na indústria do entretenimento por incríveis cinco décadas, é uma surpresa que Rocketman seja a primeira cinebiografia de um artista tão colorido quanto Elton John. É certo que o cantor tem uma série de sucessos (Sacrifice, Nikita, Sad Songs, Your Song, Daniel, Tiny Dancer, etc) e uma personalidade poderosa para tanto. Rocketman é uma releitura da vida fantástica de Elton John (Taron Egerton) desde seus primeiros anos de vida até sua luta contra a depressão, o abuso de substâncias químicas e a aceitação de sua orientação sexual.

É perceptível que o diretor Dexter Fletcher tem uma visão clara de como ele queria retratar a vida do personagem, indo muito bem nas suas intenções. Fletcher que finalizou Bohemian Rhapsody após a saída turbulenta de Bryan Singer, faz aqui uma cinebiografia não convencional. Ajudado pelo roteirista Lee Hall (de Billy Elliot e Cavalo de Guerra), o cineasta desenha a história por meio de flashbacks em uma sessão em grupo durante o período de reabilitação de Elton, ou seja, pela lógica da escolha, nem sempre são os óculos grandes e as roupas barulhentas que Fletcher exibe na tela.

Diferente do que Bohemian Rhpasody (2018) fazia com Freddie Mercury, Rocketman não pisa em ovos para falar dos problemas na vida de Elton. Conta tudo desde sua turbulenta vida familiar, a estrada longa e sinuosa que enfrentou para o estrelato, a negação da homossexualidade quando encontra o primeiro amor e a primeira dor – situações que combinadas o levaram às drogas e ao álcool. Não que seja um filme sério, é engraçado quando precisa ser, mas também incrivelmente tocante às vezes. Tudo isso vem embalado como não podia deixar de ser com uma celebração fantasticamente onírica de sequências musicais dos sucessos de Elton, entremeados com momentos específicos de sua vida brilhantemente.

Os números musicais e a história de Elton são os principais destaques para o sucesso do filme, no entanto, a performance eletrizante de Taron Egerton como o cantor é a verdadeira força motriz para fazer dessa uma biografia eficiente. O jovem ator canta muito bem, está carismático e realmente se torna Elton. Do elenco de coadjuvantes, Jamie Bell, em especial, como o colaborador de composições de longa data de Elton, Bernie Taupin, têm química boa com Egerton, enquanto Stephen Graham quase rouba o show como Dick James, primeiro empresário do músico. A título de curiosidade, John Reid, o lendário ditretor musical, foi interpretado por dois atores de Game of Thrones: Richard Madden, o Robb Stark, interpreta-o em Rocketman e Aiden Gillen, o Littlefinger, interpretou-o em Bohemian Rhapsody. Mas o filme é verdadeiramente de Taron Egerton. Se Kingsman lhe rendeu uma reputação de estrela em ascensão, Rocketman fará dele uma verdadeira estrela.

Nota: 8/10

Trailer:

Anúncios


Categorias:Cinema, Críticas

Tags:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: