“Em Chamas”, tem um quê de Grande Gatsby e é um dos melhores de 2018

Burning.png

Um dos maiores sinais que não devemos levar as premiações a sério é a ausência de Em Chamas, excepcional filme do sul-coreano Chang-Dong Lee, na lista de melhores filmes estrangeiros do Globo de Ouro 2019. Não assisti todos os indicados, mas trocaria facilmente Guerra Fria, belo e pretensioso representante da Polônia pelo filme asiático.

A obra de Lee é enigmática e deslumbrante. A trama é sobre o reencontro entre o entregador e aspirante a escritor Jong-soo (Yoo Ah In) e a maluquete Hae-mi (Jong-seo Jeon), uma antiga amiga que vivia no mesmo bairro que ele. A jovem está com uma viagem marcada para África e pede para Jong-soo cuidar de seu gato de estimação – que pode existir ou não – enquanto está longe. Hae-mi retorna na companhia de Ben (Steve Yeun, o Glenn de The Walking Dead), um jovem misterioso que conheceu na viagem. Ben tem um hobby que confidencia a Jong-soo: ele incendeia estufas. E mais não digo.

A trama se desenvolve como um Grande Gatsby moderno e mais juvenil. Há inclusive uma citação ao personagem imortal criado por F. Scott Fitzgerald no próprio filme. Assim como Gatsby, Ben é “um cara rico que nós realmente não sabemos o que faz”. As duas histórias lidam com um triângulo amoroso que inclui um homem rico, carismático e misterioso, o narrador menos carismático que desenvolve uma obsessão por ele e a mulher que é o elo entre os dois.

É admirável como Lee costura a narrativa camada sob camada com controle total do seu filme que transita da monotonia à completa tensão, obrigando-nos a somar dois mais dois para resultar quatro. Perigosamente, porém, o resultado final pode ser cinco.

Preciso falar ainda da belíssima cena da dança ao pôr-do-sol de Hae-mi desnuda na fronteira da Coréia do Sul com a Coréia do Norte ao som de um jazz aveludado, que remete imediatamente a cena final do filme anterior de Lee, Poesia (2010). É de arrepiar. É poesia em formato de imagens. É para isso que existe o cinema, amigos. Espero que pelo menos o Oscar indique Em Chamas na categoria de filme estrangeiro. Não que ele precise disso para ser grandioso, é claro.

Nota: 9/10

Trailer:

Anúncios


Categorias:Cinema, Críticas

Tags:,

1 resposta

Trackbacks

  1. Os 20 melhores filmes de 2018 – Um Frame

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: