10 episódios indicados para quem quiser encarar Seinfeld

sein

A série sobre o nada, pós-moderna, sem lições, sem aprendizados, sem abraços ao final, foi criada por Larry David e Jerry Seinfeld, que interpreta uma versão de si mesmo. Assumidamente péssimo ator, o que deixava o programa mais engraçado, ele por nove temporadas, de 5 de julho de 1989 (o dia em que eu nasci!) à 1998, teve a companhia fiel dos amigos Elaine (Julia Louis –Dreyfuss), George (Jason Alexander) e Kramer (Michael Richards), vivendo absurdos em Nova York. Abaixo, selecionei 10 episódios que oferecem um bom panorama da série para quem quiser enfrentar uma maratona:

  1. O melhor episódio de Jerry : “The Puffy Shirt” (Temporada 5, Episódio 2)

Seinfeld deixava a cargo dos seus excelentes companheiros quase toda a comédia do show, funcionando mais como um observador mordaz das maluquices em que eles se metiam. Nesse episódio, entretanto, ele aceita, sem querer, vestir uma camisa bufante para participar de um programa de televisão e vira uma piada brega e ambulante para todos. Nesse episódio também, George é alçado ao estrelato como “modelo de mãos”. As duas histórias convergem hilariamente no desfecho.

  1. O melhor episódio de Elaine Benes: “The Contest” (Temporada 4, Episódio 11)

Essa foi difícil, Julia Louis-Dreyfuss talvez seja a mulher mais engraçada do planeta. Adoro ela chapada de remédios em “The Pen” e enfrentando o nazista da sopa em “The Soup Nazi”, mas escolho um dos episódios mais emblemáticos da série para simbolizar o cuidado que David e Seinfeld tinham com a única personagem mulher do show. Nesse capítulo, os quatro amigos fazem uma aposta para ver quem consegue ficar mais tempo sem se masturbar (sem dizer a palavra uma vez sequer). Qualquer outra série excluiria o personagem feminino da aposta, não Seinfeld. Acho simbólico por mostrar que a série tentava sempre estar antenada com seus tempos, nada de finais felizes, nada de abraços, mas liberdade sexual para as mulheres sim.

  1. O melhor episódio de George Constanza: “The Limo” (Temporada 3, Episódio 19)

Qualquer interação de George com seus pais era motivo de vergonha alheia e muita risada, mas vou escolher o episódio da limusine por essencialmente resumir o personagem. Pensando ser muito esperto, George pega carona em uma limusine no aeroporto, acompanhado de Jerry, e é confundido com o líder de um movimento neonazista, por umas e outras, ele quase é linchado. O episódio mostra como Constanza é pateticamente carente quando ele se sente atraído por uma neonazista apenas por ter recebido um simples elogio, sendo preciso que Jerry lhe lembre do fato. Mais uma prova de como os roteiros flertavam com temas quase proibidos para uma sitcom sem se meter em enrascadas.

  1. O melhor episódio de Cosmo Kramer: “The Merv Griffin Show” (Temporada 9, Episódio 6)

Michael Richards ganhou três Emmys pelo papel, o que é meio injusto por que não sobrou nenhum para Jason Alexander, que sempre concorria com ele. Parte do humor de Kramer é físico, pastelão mesmo, fácil de arrancar risadas, a outra parte advém de como os outros personagens reagem às suas excentricidades. Uma prova de que Kramer era sempre um estranho no ninho é o fato que até mesmo seus dois melhores amigos, Jerry e Newman (Wayne Knight), parecem ser de outra espécie que a dele. Esses lados, pastelão e excêntrico, está bem representado no melhor episódio da última temporada, no qual Kramer acha o cenário do Merv Griffin Show no lixo e transforma seu apartamento em um talk show.

  1. O melhor episódio do quarteto: “The Handicap Spot” (Temporada 4, Episódio 22)

A maior prova de que os personagens não aprendem nada está contida aqui. Por insistência de Kramer, George estaciona o carro de seu pai em uma vaga para deficientes enquanto eles vão ao shopping. Depois que uma cadeirante é ferida por causa disso, George se torna o mordomo de seu pai, enquanto Kramer se apaixona pela mulher. Na temporada em que Seinfeld começou a criar arcos, George acaba transformando-se numa paródia de si mesmo ao virar mordomo de seu pai, que era exatamente o plot da sitcom que ele e Jerry tentaram emplacar na NBC episódios antes. No final, os quatro amigos voltam ao shopping e tem dificuldade de estacionar o carro de novo, mas, espera, há um lugar na frente de um hidrante…

  1. O melhor episódio sobre nada: “The Parking Garage” (Temporada 3, Episódio 6)

Os quatro ficam presos em uma garagem por horas quando esquecem onde estacionaram o carro de Kramer. Jerry está quase mijando nas calças, George não pode se atrasar para um jantar com os pais e Elaine está com medo que seus peixinhos morram. Um cenário monótono como um estacionamento é suficiente para eles nos matarem de rir.

  1. O melhor episódio com Newman: “The Big Salad” (Temporada 6, Episódio 2)

Newman, o carteiro amigo de Kramer e arquiinimigo de Jerry, é o personagem secundário mais recorrente da série assim como são recorrentes as piadas sobre os motivos fúteis para Jerry romper com suas namoradas. Descobrir que está saindo com uma ex de Newman que, ainda por cima, levou um pé na bunda dele, é demais para Jerry, que começa a sentir asco da garota. Ótimo episódio, que faz muito sentido dentro do universo criado pelo show.

  1. O melhor episódio “fora da casinha”: “The Bizarro Jerry” (Temporada 8, Episódio 3)

Não dá para sustentar nove temporadas sobre nada, então nas últimas temporadas percebe-se que o show começou a enveredar por caminhos mais absurdos que beiram a fantasia, como o episódio “The Betrayal”, exibido de trás para frente, e “The Bizarro Jerry”, que se passa num quase universo paralelo, no qual Elaine se torna amiga das versões boazinhas de Kramer, George e Jerry.

  1. O melhor episódio com os pais: “The Raincoats” (Temporada 5, Episódio 18)

Ocorre tanta coisa nesse episódio duplo que chego a aplaudir quando eles surpreendentemente amarram tudo no final. O melhor é a participação tanto dos pais de Jerry, Morty e Helen, como dos pais de George, Frank e Estelle. Os primeiros tentando escapar do jantar com os segundos, enquanto preferem ficar na companhia do namorado de Elaine. Inimizade instaurada, sobra espaço para o talento cômico dos veteranos atores.

  1. O melhor episódio com um personagem aleatório: “The Soup Nazi” (Temporada 7, Episódio 6)

O proprietário de um bistrô de sopas, obcecado com o procedimento para servir os seus clientes, ganha o apelido de Nazista da Sopa. A sopa dele é tão boa que as pessoas se enfileiram, mesmo correndo o risco de serem humilhadas. Jerry, sendo Jerry, troca até a namorada pela sopa. O homem continua aterrorizando, mas não esperava cruzar o caminho de Elaine, disposta a acabar com o negócio do “nazi” apenas para se vingar do tratamento recebido. O personagem é inspirado em comerciante real e o ator que o interpreta, Larry Thomas, foi indicado ao Emmy pela participação.

Anúncios


Categorias:Listas, Televisão

Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: